Boneca cobiçada

Biá & Bolinha

Um bolero caipira, “Boneca cobiçada” ganhou as paradas de sucesso em janeiro de 57, nelas permanecendo por mais de dez semanas. Composto por artistas sertanejos – Biá (Sebastião Alves da Cunha) e Bolinha (Euclides Pereira Rangel) -, o bolero teria, naturalmente, que ser lançado por uma dupla do gênero (Palmeira e o próprio Biá), cantando em terças como manda o figurino. Aliás, Palmeira e Biá foram figuras importantes nesse setor de nossa música, atuando juntos ou com outros parceiros.

Mas seu grande sucesso foi mesmo “Boneca cobiçada”, tão grande que ensejou a promoção de Palmeira (Diogo Mulero) a diretor artístico dos discos sertanejos da RCA. Aproveitando a popularidade de “Boneca cobiçada”, e em contrapartida a seus exageros românticos, foi gravado pelo humorista Zé Fidélis, ainda em 1957, o bolerinho satírico “Boneca cabeçuda”.

Extraído de http://cifrantiga3.blogspot.com.br

 

X.X.X.X.X.X.X.X.X

 

Em 1956, Bolinha, teve o bolero “Boneca cobiçada”, de sua autoria e Biá, gravado pela dupla Palmeira e Biá (ouça adiante!), que se tornou um grande sucesso e uma das músicas mais gravadas da Música Popular Brasileira (Confira em ‘Qual Delas ?’).

Extraído de http://www.dicionariompb.com.br/bolinha

Palmeira e Bia(1956)

 

X.X.X.X.X.X.X.X.X

 

Bolinha é o autor da letra da música “Boneca cobiçada”, que na época ainda se chamava “Enganada” e pediu à Biá que fizesse a música. Por sugestão de Bolinha, ele inicialmente tentou utilizar o ritmo da Guarânia (gênero musical de origem paraguaia muito utilizada em músicas sertanejas na época), mas depois de algumas tentativas observou que a condução não combinava com história. Então decidiu utilizar na melodia o ritmo do Bolero, ritmo este que ele tocava muito em sua juventude em casas noturnas na sua cidade natal (Coromandel-MG), que fazia muito sucesso na época. Com a junção do bolero à música sertaneja, surgiu um novo ritmo chamado de ‘Bolero Sertanejo’ ou ‘Bolero de Dueto’. Não demorou muito e a nova canção se tornou um grande sucesso na região.

Extraído de http://baudamusicasertaneja.blogspot.com.br

Tags: Bia / Bolinha / boneca / cobiçada / Palmeira /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Marcio Casani disse:

Parabéns pelo trabalho de pesquisa.
Conheci “boneca cobiçada” pela interpretação do Ney Matogrosso e fiquei surpreso quando anos depois conheci a versão do (se não me engano) Antônio Marcos, o que me fez admirar ainda mais o Ney que transformou a música em algo, a meu ver, muito melhor.

baltazar Wagner Lucas disse:

Boneca Cobriçada – quer palmeira e biá, antonio marcos, filho de mineira, ney matogrosso, qualquer gravação revela-se uma obra de arte e saudável conhecer nossa expressão cultural, que dispensa doutrina ideológica. Penso que nós como cidadãos que cuidamos de nossa educação sabemos respeitar as gravações da arte de cantar, escrever, etc.

ARNALDO SEBASTIAO disse:

Estava com alguns amigos resolvemos pesquisar quem era o autor de boneca cobiçada. Ficamos surpresos com a história da música.