Cantar

Godofredo Guedes

Escutei “Cantar”, pela primeira vez, numa gravação de Cristina (Buarque) (confira em ‘O tempo não apagou’) e fiquei absolutamente embevecida com essa perfeição de melodia e letra no choro de Godofredo Guedes. Sempre que escuto, sinto uma nostalgia, meio utópica, de alguma ternura que se esvaiu por aí.

Mais tarde Cristina ficou sabendo, através de Tavinho Moura, que a canção que tinha aprendido com Beto Guedes, e gravado, era só a metade, já que ele não apresentou a segunda parte, tão linda e redonda quanto a primeira. Pouca gente conhece a versão completa que vai aí cantada por Beto Guedes e Tavinho Moura (veja e ouça adiante!).

Extraído de Anna de Hollanda

Beto Guedes & Tavinho Moura ao vivo(2002)

 

X.X.X.X.X

 

A música não é de Beto Guedes, é do pai Godofredo. É daquelas músicas que batem no fundo da alma, que trazem lembranças de fatos que ocorreram ou que deveriam ter ocorrido, um hino que aqueceu o coração da minha geração.

Luis Nassif em 07/08/2011

Extraído de https://jornalggn.com.br

 

X.X.X.X.X

 

UM BRASILEIRO VIVO

Doutor para muitos, Magrão para os mais próximos – mas, sobretudo, brasileiro. No sangue e no sobrenome. Não por acaso. Durante toda minha infância em Ribeirão Preto ouvi falar sobre as histórias incríveis de Magrão, fossem elas sobre suas bebedeiras ou a fase gigantesca no Botafogo. Mas as que mais me tiravam do chão vinham do meu pai, seu Anésio, meu grande amigo.

………..

Estive em seu enterro. Dei o último carinho para o herói impossível. O mais Brasileiro que poderia existir.

A última reza de seus amigos em torno do caixão foi com uma das mais belas canções da música brasileira. Uma das favoritas de Sócrates. Era “Cantar”, de Godofredo Guedes e imortalizada na voz do seu filho, Beto Guedes.

Era demais para mim. A voz e o jeito frágil de Beto Guedes prontamente vieram à minha cabeça.

O coro de seus amigos tomou conta daquela tarde quente em Ribeirão Preto.
Senti, num delicado levitar, o impossível. Era a voz de um povo a cantar. Um Brasil vivo e mais perto do que nunca.

Por Ricardo Morais, com Rodolfo Araújo

Trecho extraído de https://ripfutebolclube.com

 

X.X.X.X.X

 

Assim como a canção de autoria de Godofredo Guedes recebeu inúmeras gravações (confira em ‘O tempo não apagou’), o tema “Cantar” dá nome a outras tantas (confira em ‘O poder da criação’)

Tags: Beto / cantar / Godofredo / Tavinho /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *