De amor ou paz

Adauto Santos & Luis Carlos Paraná

II Festival de Música Popular Brasileira

Emissoras: TV Record (canal 7, São Paulo); TV Paulista (canal 5, São Paulo) e TV Globo (canal 4, da então Guanabara)

  • Local: Teatro Record, cidade de São Paulo
  • Data: setembro e outubro 1966
  • Prêmio Viola de Ouro
  • Classificação:

1º Lugar: Empate: “A banda” (Chico Buarque) – intérpretes: Chico Buarque e Nara Leão; e, “Disparada” (Geraldo Vandré e Théo de Barros) – intérpretes: Jair Rodrigues, Trio Maraiá e Trio Novo

2º Lugar: “De amor ou paz” (Luís Carlos Paraná e Adauto Santos) – intérprete: Elza Soares

Extraído de https://pt.wikipedia.org

 

X.X.X.X.X.X

 

Você certamente conhece as duas canções que empataram no primeiro lugar: “A banda” e “Disparada”.

…E aquela que ganhou o segundo lugar? Apesar de também linda, não teve a mesma veiculação.

Passados 50 anos, vamos relembrar “De amor ou paz”.

 

X.X.X.X.X.X

 

Samba de Adauto Santos e Luiz Carlos Paraná, que obteve o segundo lugar no Festival de MPB da TV Record, em 1966 (as vencedoras do certame, empatadas, foram “A banda”, de Chico Buarque, e “Disparada”, de Geraldo Vandré e Théo de Barros). “De amor ou paz” foi defendido por Elza Soares, cuja gravação foi lançada pela Odeon em outubro de 66, no compacto simples n. 7B-189-A (ouça adiante!). Houve ainda registros por Neyde Alexandre, Mart’nália (filha de Martinho da Vila) e pelos próprios autores (confira em ‘O tempo não apagou’), entre outros. Direitos fonográficos reservados à Universal Music International Ltda. ISRC: BREMI-6600290.

Extraído de Samuel Machado Filho

Elza Soares(1966)

 

X.X.X.X.X

 

No programa “Brasil Sonoro” levado ao ar no dia 22/10/2016, pela E-Paraná – 97,1 FM e 630 AM, a canção “De amor ou paz” foi por nós lembrada no quadro ‘QUAL DELAS ?’ (ouça adiante!).

 

Tags: Adauto / amor / Paraná / Paz / Soares /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Silvio Colin disse:

Ouvi esta canção no festival de 1966, e até hoje ainda me lembrava dela, tal seu poder de comunicação!