Franqueza

Denis Brean & Osvaldo Guilherme

Espirituoso e brincalhão, o jornalista Denis Brean (Augusto Duarte Ribeiro), com atuação em vários jornais de São Paulo, seria um dos melhores compositores populares paulistas, cuja produção era gravada regularmente no Rio de Janeiro.
Ostentando em sua bagagem sucessos como “Boogie-woogie na favela” ( 1945 ), “Boogie-woogie do rato” ( 1947) e “Bahia com H” (1948), ele comporia em 1957 o samba-canção “Franqueza”, que caiu como uma luva no repertório de Maysa (Confira em ‘O poder da criação’) (http://qualdelas.com.br/franqueza/) .

Expondo de forma coloquial, sobre uma melodia abolerada, o drama de um amor desfeito (“Você passa por mim e não olha / como coisa que eu fosse ninguém”), com a personagem aceitando a rejeição do parceiro, mas, ao mesmo tempo, ressaltando a sua ingratidão (“Seus melhores momentos na vida / em meus braços você desfrutou”), “Franqueza” parece até obra da própria Maysa, que na ocasião vivia o retumbante sucesso de sua estréia como cantora e compositora.

Extraído de http://cifrantiga3.blogspot.com.br

 

X.X.X.X.X.X.X.X.X.X

 

O jornalista Denis Brean foi um dos melhores compositores populares paulistas. Em 1957 compos o samba-canção “Franqueza”, que foi lançado por Nora Ney (ouça adiante!), mas fez sucesso mesmo foi com Maysa.

A letra expõe o drama de um amor desfeito:
“Você passa por mim e não olha,
Como coisa que eu fosse ninguém
Com certeza você ja esqueceu
Que em meus braços já chorou também”
com a personagem aceitando a rejeição do parceiro, mas ao mesmo tempo ressaltando que a situação não é natural, pra quem viveu tamanha felicidade:
“Eu não ligo, porém, ao seu modo
Isto é próprio de quem é infeliz
Quer mostrar que não sente saudade
De um passado que foi tão feliz”
A coisa vai ficando amarga e termina com a ingratidão do parceiro totalmente explicitada:
“Se eu quisesse eu podia dizer
Tudo, tudo que houve entre nós
Mas pra que destruir seu orgulho
Se eu até já esqueci sua voz”
“De uma coisa eu tenho certeza
Foi o tempo quem me confirmou
Seus melhores momentos na vida
Nos meus braços você desfrutou.”

Pelo tema e pela interpretação, muita gente acha que a música é de Maysa, mas, além de Denis Brean, o outro compositor é Osvaldo Guilherme. “Franqueza” é um clássico da dor de cotovelo e teve um número gigantesco de gravações (Confira no ‘Qual Delas?’).

Interpretações femininas:
#1 – Nora Ney – a primeira gravação
#2 – Maysa – talvez a de maior sucesso
#3 – Leny Eversong – belíssima e sem muito drama, não muito característico dela
#4 – Elizeth Cardoso – intensa, quase à cappella, acompanhada por um órgão
#5 – Waleska – deu uma abolerada básica e fez uma combinação com a música “Conselho”, que tem tudo a ver com “Franqueza”

Interpretações masculinas:
#6 – Tito Madi – suave, como todas suas interpretações
#7 – Dick Farney – em belíssima versão instrumental
#8 – Nelson Gonçalves – com toda a intensidade que lhe é característica
#9 – Quarteto Nostalgia – outra bela versão instrumental
#10 – Wilson Simonal – surpreendente interpretação de uma das mais belas vozes masculinas da nossa música

Extraído de http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif

Nora Ney(1957)

Tags: Brean / Franqueza / Maysa / Nora / Osvaldo /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *