Judiaria

Lupicínio Rodrigues

O humor não está ausente das suas canções. E não se trata aqui do humor que acidentalmente causa uma letra carregada de sofreguidão em quem está de bem com a vida, mas de contrapeso ao já enunciado. Ouça-se Judiaria (Lupicínio Rodrigues), uma guarânia, com violas paraguaias distorcendo as notas como faziam os velhos bluesmen, sem que um tipo de música tenha necessariamente se encontrado com o outro. Na estrofe final, a voz miúda de Lupicínio, em acentuado exemplo do cancioneiro quase falado do nosso país, mais diz do que canta (ouça adiante!): “Já chega o tempo que eu fiquei sozinho/ Que eu fiquei sofrendo/ Que eu fiquei chorando/ Agora que eu estou melhorando/ Você me aparece pra me aborrecer”. Ignorar o efeito cômico dos últimos dois versos, contido ao máximo pelo que há de dramático no conjunto da letra mas ainda assim cômico, não nos aproximará da sutileza do compositor.

Extraído de http://www.horadopovo.com.br/

Lupicinio Rodrigues(1973)

 

X.X.X.X.X.X.X.X.X

 

Esta guarânia foi um grande sucesso na voz de Creusa Cunha – gravação original em 1971 (compacto à venda no ‘Mercado Livre’, mas não disponível, o áudio, na rede). Depois dessa gravação, houve muitas outras (Confira em ‘O tempo não apagou’), Inclusive a de Zé do Rancho e Mariazinha, também no mesmo ano, que a gravaram com o título trocado (“Saia da minha vida”)(ouça adiante!).

Extraído de Adalésio Vieira

Ze do Rancho & Mariazinha(1971)

Tags: judiaria / lupicinio / Mariazinha / minha / Rancho / saia / Vida /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *