Maluco beleza

Raul Seixas & Claudio Roberto

Terminada a parceria com Paulo Coelho, de quem continuaria amigo — ou “inimigo íntimo”, segundo o próprio Paulo—, Raul Seixas entra o ano de 77 de parceiro novo (Cláudio Roberto) e nova gravadora, a WEA, em que estreia com o elepê “O dia em que a terra parou.

Considerado pela crítica inferior a outros trabalhos seus, este disco apresenta a autobiográfica “Maluco beleza”, sucesso responsável pelo apelido que o acompanharia para sempre: “Enquanto você se esforça pra ser / um sujeito normal / (…) / vou ficar / ficar com certeza / Maluco Beleza / (…) / controlando a minha maluquez / misturada com minha lucidez…” (ouça adiante!)

Outro sucesso do disco é a canção-título “O dia em que a terra parou”, mas que não chegou a alcançar a popularidade de “Maluco beleza”. Já Cláudio Roberto, coautor de todas as faixas, é um antigo vizinho de Raul, letrista, cantor e professor de ginástica. Uma curiosidade do álbum é a participação de Gilberto Gil, como arranjador e violonista na faixa “Que luz e essa” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Extraído de http://cifrantiga3.blogspot.com.br/

Raul Seixas & Coro(1976)

Tags: beleza / Claudio / Maluco / Seixas /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *