O caderninho

Olmir Stocker

Durante um ensaio para o programa “Jovem Guarda”, o guitarrista gaúcho Olmir Stocker, o Alemão, estava mostrando a Simonal um samba que fizera havia pouco tempo, quando chegaram Wanderléa e Erasmo Carlos. Imediatamente, Erasmo mostrou-se interessadíssimo pela canção, tendo Alemão, na época integrante do grupo “Os Vandecos”, dado a ele a música para gravar.

“O Caderninho” foi composto ao tempo em que o guitarrista morava no bairro paulistano da Casa Verde, sendo inspirado pelos encantos de uma garota, que diariamente ele via passar uniformizada por sua rua, rumo à escola.

Com uma melodia graciosa, bem resolvida, e uma letra inocente, que revela uma criativa forma de declaração de amor, a canção caiu em cheio no gosto da juventude: “Eu queria ser o seu caderninho / pra poder ficar juntinho de você / inclusive na escola eu iria com você entrar / e na volta juntinho ao seu corpo eu iria ficar / e em casa, então, você me abriria / para me estudar e se assustaria / ao ver revelado em seu caderninho / meu rosto lhe olhando / dizendo baixinho / benzinho não posso viver / longe de você.”

No arranjo para a gravação, Alemão alterou o ritmo original, incrementando o conjunto de Erasmo, “Os Tremendões”, com um vibrafone, lá-lá-lás de vocal masculino e a marcação de palmas (ouça adiante!), para reproduzir o mesmo clima dançante das interpretações de cantores como Chris Montez e Trini Lopez, de muito sucesso na ocasião. Este tipo de adaptação seria muito usado pelo cantor Wilson Simonal no auge de sua carreira (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Extraído de http://cifrantiga3.blogspot.com.br

Erasmo Carlos & Coro(1967)

Tags: caderninho / Erasmo / Stocker /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *