Palhaçada

Luiz Reis & Haroldo Barbosa

Parece que a primeira gravação de “Palhaçada”, de Haroldo Barbosa e Luiz Reis foi a de Ivon Curi, feita no dia 16 de fevereiro de 1961, disco RCA Victor 802311a, lançado no mês de março do mesmo ano (ouça adiante!). Outras gravações podem ser anteriores, mas como as gravadoras só trazem a data de lançamento, fica difícil de constatar. Lançadas em março de 1961, são as de Isaura Garcia, Walter Vanderley, Dóris Monteiro e Elisete Cardoso (Confira em ‘O tempo não apagou’). Em abril foram lançadas as de Miltinho (a mais divulgada na época), e Heraldo e Seu Conjunto.

Extraído de Miguel Nirez Azevedo

Ivon Curi(1961)

 

X.X.X.X.X

 

Ao contrário de “Nossos momentos”, “Palhaçada” mostra o lado não-romântico da parceria Luiz Reis e Haroldo Barbosa e é o seu maior sucesso. Num estilo sincopado, meio bossa nova, o samba focaliza as desventuras de um sujeito que, apesar de enganado e abandonado por uma mulher, admite aceitá-la de volta com as desvantagens que isso possa representar: “Mas se ela quiser / voltar pra mim / vai ser assim / cara de palhaço / roupa de palhaço / até o fim.”

Mais conhecido como “Cara de palhaço”, “Palhaçada” teve só em 1961 onze gravações, o que comprova o seu sucesso. Contudo a do personalíssimo Miltinho foi a que marcou (ouça adiante!), sem demérito para as dos rivais Ivon Curi, Dóris Monteiro, Isaura Garcia e Elizeth Cardoso (confira em ‘O tempo não apagou’) (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Extraído de http://cifrantiga3.blogspot.com.br

Miltinho(1961)

 

X.X.X.X.X

 

Miltinho é, sem dúvida, o grande intérprete de “Palhaçada”, samba de Luiz Reis e Haroldo Barbosa lançado em 1961. Sua voz anasalada e metálica cai como luva para vestir os trejeitos do homem que compreende as necessidades de sua amada e se submete a vestir-se tal qual o grande artista do circo: “cara de palhaço, roupa de palhaço, até o fim”.

Extraído de http://www.esquinamusical.com.br/

 

X.X.X.X.X

 

“Palhaçada”, na voz de Miltinho, foi “pule de dez” da dupla de autores, o seu cartão de visita. A exemplo de “Cara de pau”, “Devagar com a louça” e “Só vou de mulher”, trata-se de um samba de sabor bem carioca, na linha da sátira dos costumes, com um molho na batida do teclado que evoca o toque buliçoso de pioneiros como Nonô. “Palhaçada” é uma composição emblemática do que, na época – início dos anos 60 -, se chamou “samba de balanço’ ou “sambalanço”, uma corrente entre a bossa nova e o samba tradicional da qual Luiz Reis, João Roberto Kelly, Ed Lincoln, Orlandivo, Luiz Bandeira, Sílvio César, Miltinho, Dóris Monteiro e o baterista Jadir de Castro, por exemplo, foram rematados cultores.

Extraído de http://liberatinews.blogspot.com.br/

Tags: Haroldo / ivon / Miltinho / palhaçada / palhaço / reis /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *