Quando tu passas por mim

Vinícius de Moraes & Antonio Maria

O poeta Vinícius de Moraes estreou na música popular brasileira em 1932, como parceiro de Haroldo Tapajós nas músicas “Loura ou morena” e “Doce ilusão”, ambas interpretadas pelo próprio Haroldo em dueto com o irmão Paulo (eles então formavam a dupla Irmãos Tapajós). Mais de vinte anos depois, Vinícius retomou suas atividades musicais, justamente com este samba-canção, “Quando tu passas por mim”, no qual figura Antônio Maria como parceiro, embora a música e a letra sejam de Vinícius. Gravação Continental de Aracy de Almeida, acompanhada pelo conjunto do clarinetista Abel Ferreira, lançada em setembro-outubro de 1953, sob número de disco 16820-A, matriz C-3161 (ouça adiante!). Confira também o lado B, “Recado”. Direitos fonográficos reservados à Warner Music Brasil Ltda., uma empresa Warner Music Group. ISRC: BRWMB-9700395.

Extraído de Samuel Machado Filho

Aracy de Almeida & Abel Ferreira e Conjunto(1953)

 

X.X.X.X.X

 

Antônio Maria, cronista e compositor pernambucano, frequentador da noite carioca, era muito amigo de Vinícius. Uma das atividades preferidas dos dois era, em fins de noite, seguir vira-latas pelas ruas a bordo de um “rabo de peixe”, modelo de carro de luxo dominante na época. A solidão pior é a do ser que não ama. E os vira-latas amam, dizia Vinicius. Numa dessas noites, os vira-latas os conduziram até a praia, onde avistaram um grupo de velhinhos fazendo exercícios, chefiadas por um rapagão. De copo nas mãos, com o dia amanhecendo, os dois ficaram quietos observando aquilo por algum tempo. O silêncio foi quebrado por uma insólita proposta de Vinícius: “Maria, vamos fazer um pacto? “Claro, peça o que quiser, Vinícius”. “De hoje em diante, não vamos fazer jamais um só movimento desnecessário”.

Esse não foi o único acordo entre os dois. Combinaram também que cada um que fizesse um samba daria parceria ao outro, trato comum à época. Maria fez “Quando a noite me entende”, dando parceria a Vinicius, que retribuiu dando parceria ao pernambucano em “Quando tu passas por mim”. ”O trato foi muito lucrativo para mim porque Maria, naquela época, era um letrista muito conhecido e eu, não”, dizia Vinicius.

O poeta não tinha muita paciência com crianças, nem mesmo com os filhos, dos quais só se aproximava quando já estavam maiores. Certa vez, com Georgiana ainda pequena, Lila (mãe de Juliana e Luciana) percebeu a inquietação de Vinicius, que andava daqui para lá o tempo todo, querendo sair. Porém chovia e a inquietação aumentava. Lila então sugeriu: “Vinicius, vê se faz um samba, você gosta tanto, quero ver se sai alguma coisa”. E saiu “Quando tu passas por mim”.

Extraído de “Histórias de canções: Vinicius de Moraes”

Por Wagner Homem e Bruno de La Rosa

 

X.X.X.X.X

 

Com Antônio Maria, Vinícius acabará de compor o samba-canção “Quando tu passas por mim” – “Quando tu passas por mim / Por mim passam saudades cruéis / Passam saudades de um tempo / Em que a vida eu vivia a teus pés…”. – Aracy de Almeida gravara-o na Continental por aqueles dias e, enquanto o disco não saía, cantou-o, em primeira mão, no “Clube da Chave”. No fim daquele ano, o Itamaraty finalmente deu um destino a Vinícius: designou-o segundo secretário da Embaixada do Brasil em Paris. Os amigos lhe ofereceram uma festa de despedida no “Clube da Chave”, numa semana em que, casualmente, Tom (Jobim) estava ao piano. Mas os dois só se conheciam de obas e olás, e levariam três anos para se reencontrar, quando Vinícius estivesse de volta outra vez.

Extraído de “A noite do meu bem: A história e as histórias do samba-canção”

Por Ruy Castro

 

X.X.X.X.X

 

Tati de Moraes (que também usava o nome Tati A. de Mello), foi uma tradutora, jornalista e crítica de cinema brasileira, que se tornou mais conhecida por ser a primeira esposa de Vinícius de Moraes.

Tati e Vinícius ficaram casados durante 11 anos, e tiveram dois filhos, Suzana (1940-2015) e Pedro (1942). Para ela, o poeta escreveu um de seus mais conhecidos e belos sonetos, o “Soneto de Fidelidade”. Em 1953, a cantora Aracy de Almeida gravou “Quando tu passas por mim”, primeiro samba de autoria de Vinícius, em parceria com Antônio Maria, e a canção fora dedicada à Tati, marcando, porém, o fim do seu casamento, após o que Vinícius casaria mais oito vezes.

Extraído de https://pt.wikipedia.org

 

X.X.X.X.X

 

Em 1953, Aracy de Almeida gravou “Quando tu passas por mim” (Vinícius de Moraes c/ Antônio Maria), primeiro samba de autoria de Vinícius, dedicado à esposa Tati de Moraes, marcando literariamente também o fim do casamento. No mesmo ano, foi para Paris como segundo secretário da embaixada.

Extraído de http://dicionariompb.com.br/

 

X.X.X.X.X

 

Dos trechos do Depoimento do Tom para o MIS que selecionamos este talvez seja o mais revelador para quem quer saber de história da música brasileira: Vinicius fala de seu primeiro encontro com Tom no ‘Clube da Chave’, antes do encontro “oficial” no Vilariño, e de como ficou impressionado com a modernidade de sua música; Tom revela que é dele a orquestração de “Quando tu passas por mim”, com Aracy de Almeida no auge (época de Vogue, Antonio Maria e samba canção), o primeiro samba de Vinicius, o que comprova a afinidade de ambos. Mas, principalmente, confirma a influência que o mais velho Vinicius tem sobre os garotos Tom, João Gilberto e João Donato, naqueles definitivos anos 53, 54…

Extraído de Genicleide Oliveira

 

Tags: Abel / Aracy / Itamaraty / Maria / mim / passas / quando / Vinicius /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *