Regra três

Toquinho & Vinícius de Moraes

Algumas músicas nasceram nesse ambiente baiano. Uma delas é “Regra três”, sobre a qual Toquinho conta: “Um samba que foi feito sem pretensão nenhuma. Fiz a melodia e Vinicius colocou uma letra da qual não gostei muito. Aí, ele refez, um pouco chateado por eu não ter gostado da primeira versão. Eu namorava muito naquela época. Era um tempo tranquilo, sem AIDS, e se podia namorar mais tranquilamente. E a letra de “Regra três” foi feita para uma pessoa como eu era na época, me dizendo: ‘Atenção, que um dia você vai se dar mal’. Contém esse espírito de alerta, trazendo embutida um pouco da contrariedade por eu ter rejeitado a primeira ideia dele”. Ouça adiante!

Toquinho & Vinicius & MPB4(1972)

 

Extraído de http://www.toquinho.com.br

 

X.X.X.X.X

 

Por trás da letra: “Regra três” – Toquinho e Vinícius de Moraes

Considerado por Toquinho um dos sambas paulistas de sua parceria com Vinicius de Moraes, “Regra três” tem uma história particular. Foi o próprio Toquinho quem compôs a melodia, e pediu ao seu parceiro Vinicius uma letra para a nova composição. Porém a primeira versão da letra não agradou Toquinho.

Caprichoso que era com suas autorias, Vinicius resignou-se com a desaprovação por parte de Toquinho e resolveu dar o troco, fazendo “Regra três” em ‘homenagem’ ao seu parceiro namorador, falando do homem em sua derrota após tratar sua mulher com desdém. Um marco da música brasileira, cantada por gerações de amantes dessa parceria (confira em ‘O tempo não apagou’).

Fonte: www.musicadesaopaulo.com.br

Extraído de MPB Bossa

 

X.X.X.X.X

 

Por Ricardo Santhiago

Quando Vinícius mostrou a letra que havia feito para a melodia da canção que viria a ser “Regra três”, Toquinho torceu o nariz e disse que não havia gostado, pedindo para que o amigo tentasse uma melhor. O poetinha se enfureceu com a opinião do parceiro, mas contornou a situação, fazendo outra versão, se inspirando no amigo. “Tantas você fez que ela cansou porque você, rapaz, abusou da regra três…” uma clara alusão à vida amorosa de Toquinho, com uma recomendação expressa de que o violonista deixasse de ser mulherengo. Agora, não havia como condenar a bela e irônica poesia de Vinicius e restou a Toquinho aceitar, mas não sem deixar de lembrar que o “velho saravá” também era um conquistador incansável, segundo ele, “um homem de uma mulher só… a cada dois meses”.

Extraído de https://www.revistaforum.com.br

 

X.X.X.X.X

 

Por Beatriz Carrasco

A história de “Regra três” também remete a décadas passadas. Composta por Vinicius, a primeira versão tinha outro nome, que, segundo Toquinho, era “muito pobre”. “Vinicius era muito vaidoso”, comentou ele, ao recordar que o ex parceiro não gostou da sua crítica, mas que fez outra letra em sua homenagem e o seu gosto em ter várias namoradas ao mesmo tempo. “Eu era muito namorador”, ri, ao justificar a temática da música, e relembrar que Vinicius, casado 9 vezes, dizia que era “homem de uma mulher só de cada vez”.

Extraído de https://www.terra.com.br

Tags: MPB4 / regra / toquinho / Três / Vinicius /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *