Sala de recepção

Cartola

A história da música “Sala de recepção” do Cartola é das mais lindas até agora do livro “Histórias do Samba” de Marcos Alvito.

Em 23/01/2013 

Cartola, Heitor dos Prazeres e Paulo da Portela tinham acabado de chegar de São Paulo. Chegaram no dia do desfile de suas escolas. Quando a escola ‘Paz e Amor’, de Heitor dos Prazeres, passou ele entrou no desfile e levou os outros dois amigos. Quando a Mangueira passou, Cartola colocou todo mundo para desfilar em sua escola. Porém quando chegou a vez de Paulo da Portela, os integrantes da escola que ele ajudou a fundar, proibiram que ele desfilasse sem fantasias e também que seus amigos entrassem no desfile. Decepcionado Paulo chorou e nunca mais desfilou pela Portela. Cartola levou Paulo para morar uns tempos em Mangueira, onde foi muito bem recebido. Daí, Cartola escreveu seu samba “Sala de recepção”. Onde Mangueira recebe todos os amigos, e até “inimigos”, muito bem.

Extraído de https://praiaia.wordpress.com

 

X.X.X.X.X.X.X

 

Teresa Cristina recoloca Cartola na roda com novo disco

Por Rodrigo Amaral da Rocha

Não foi nada fácil para a portelense Teresa Cristina cantar os versos de “Sala de recepção”, composição de Cartola em uma clara exaltação à sua querida ‘Estação Primeira de Mangueira’. A canção é uma das 18 faixas que fazem parte do novo projeto da intérprete que revisita a obra do sambista mangueirense (confira em ‘O tempo não apagou’). Teresa, no entanto, se reconforta com os versos “aqui se abraça o inimigo como se fosse o irmão”.

“Essa amizade entre Cartola e a Portela sempre existiu. Não podia deixar essa música de fora, porque é linda, mas dá vontade de deixar para a galera cantar nesse verso”, brinca Teresa, citando “eu digo e afirmo que a felicidade aqui mora/ e as outras escolas até choram/ invejando a tua posição”.

Extraído de http://jornalggn.com.br/

 

X.X.X.X.X.X.X

 

Após a saída da Portela, ele (Paulo da Portela) ainda chegou a liderar a pequena escola “Lira do Amor, hoje extinta. Por conta do seu desentendimento com a diretoria da Portela, Paulo compôs “O meu nome já caiu no esquecimento” (“chora Portela, minha Portela querida/ Eu te fundei, serás minha toda a vida“). Cartola também fez na ocasião, um samba, “Sala de recepção” (“Aqui se abraça o inimigo/ como se fosse um irmão“).

Extraído de https://pt.wikipedia.org

 

X.X.X.X.X.X

 

“Sala de recepção”, música de Cartola composta com inspiração na expulsão de seu amigo Paulo da Portela do desfile da escola por ele fundada, pois estava sem uniforme e com seus amigos (Heitor dos Prazeres e Cartola), que eram de outras escolas de samba.
Na letra, Cartola enaltece a mangueira, sua escola, que acolheu seu amigo, mesmo pertencendo a outra escola de samba.
A música serve de inspiração para o acolhimento de nossos amigos em nossa casa num dia especial para nós.
Como diz a música: “…Eu digo e afirmo que a felicidade aqui mora…”

Extraído de https://mecasei.com

 

X.X.X.X.X.X

 

Creuza Francisca dos Santos, filha adotiva de Cartola, participou em 1976 do segundo disco solo de Cartola, lançado pelo selo Discos Marcus Pereira. No LP, interpretou “Ensaboa” (Cartola e Monsueto) e “Sala de recepção” (Cartola), ambas em dueto com Cartola (ouça adiante!).

Extraído de http://dicionariompb.com.br/

Cartola & Creuza(1976)

Tags: cartola / Creuza / Mangueira / Paulo / Portela / recepção / sala / Teresa /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *