Sozinho

Peninha

A música “Sozinho”, escrita pelo compositor Peninha, nasceu com alma feminina, com o título de “Sozinha” e gravada pela primeira vez pela cantora Sandra de Sá (ouça adiante!).

Caetano Veloso regravou a canção em 1998, adaptando o título para o gênero masculino. A versão explodiu nas rádios brasileiras, com o álbum “Prenda minha” atingindo a marca de 1 milhão de cópias vendidas (Confira em ‘O tempo não apagou’).

Peninha escreveu a canção inspirado na filha, Clariana Alves, que tinha 14 anos e sofria por um namorado que a deixava muito só. Um dia, sem querer, ele escutou uma conversa da filha com o namorado ao telefone e, com o violão, fez a música, baseado na solidão que ela estava sentindo.

Clariana Alves só soube que foi a musa inspiradora da canção anos depois, quando Peninha passou a contar a história da canção em entrevistas, por causa da gravação de Caetano Veloso. Antes disso, o pai sempre dizia que a música era “a cara dela”, o que a deixava brava, por achar que ele estava tentando lhe dizer que seu relacionamento era ruim. Depois, ela percebeu que ele passou na letra uma preocupação com ela.

O de Clariana, entre idas e vindas, durou mais de 5 anos. Clariana conta que sempre que o casal brigava, o namorado colocava a música e lhe dizia: “Pense bem”. Em uma das vezes que terminaram, ele foi até a casa dela colocou o CD do Caetano Veloso no modo repeat. Ela ouviu a música a noite inteira e acabou voltando.

A música marcou tanto o casal, que, mesmo depois de separados, o ex-namorado ligava para Clariana toda vez que ouvia a música.

“Nossos amigos chamam ele de ‘Sozinho’. Ele sempre fala que, se a gente não casar, eu vou estar velhinha e me lembrar dele toda vez que ouvir essa música. Pior é que vou. Nem que eu queira esquecer, vou conseguir.”
(Clariana Alves)

“Esta música foi baseada numa ligação, numa briga minha com um namoradinho de infância. E pelo que eu me lembro, eu estava na casa do meu pai e ele ouviu na extensão.”
(Clariana Alves)

“Ela estava falando ao telefone mas não estava legal… tinha alguma coisa rolando ali.”
(Peninha)

“Eu acho que o meu pai pescou esse desgaste no relacionamento de uma menina de 14, 15 anos, e fez esta música.”
(Clariana Alves)

“Esta música foi baseada num sentimento de solidão da minha filha Clariana. Eu não lembro exatamente em que ano eu fiz esta música. Eu lembro que foi no bairro da Aclimação, só com um violão… aliás, foi com esse violão aqui que eu fiz ‘Sozinho’ (mostrando o violão). Como eu fiz esta música baseada no sentimento dela, eu achei que tinha feito uma música teen.”
(Peninha)

“Eu conheci o Peninha quando ele mandou há vários anos atrás uma música chamada ‘Alma gêmea’ pro Fábio Jr. No disco seguinte que eu fiz do Fábio, eu imediatamente liguei para o Peninha e pedi pra ele, lógico: ‘Peninha me manda uma música, eu preciso de uma música pro Fábio, pelo amor de Deus!’… e o Peninha me mandou ‘Sozinho’.”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“O Guto Graça Melo é um anjo na minha vida. E eu nem gostava muito dessa onda de mostrar música assim. Eu mandava a música porque aí se o cara não gosta não fica chato do cara falar, ficar olhando pra sua cara… ‘Pô achei mais ou menos…'”
(Peninha)

“Não sei se o Fábio estava num mal dia… eu não sei o que aconteceu, mas ele não se ligou na música.
Fábio Jr: Não… não… não… isso não… não é isso não!
Guto: Essa música é um hit Fábio, se você não quer gravar, não tem o menor problema!
O disco seguinte que eu produzi foi da Sandra de Sá.”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“O Guto Graça Melo me chegou com uma fita do Peninha tocando uma música no violão e fez a música ‘Sozinha’. Inclusive eu me debato muito quando falam: Ah vai cantar ‘Sozinho’?. E eu respondo: ‘Não, eu vou cantar ‘Sozinha’… o Tim e o Caetano cantam ‘Sozinho’, inclusive a real da música é essa!”
(Sandra de Sá)

“Eu estava sem grana, sem nada, ninguém olhava pra minha cara e tudo quanto é porta fechada. Nessa fase, que foi uma fase muito terrível porque eu tinha minhas obrigações, tinha meus filhos estudando… eu recomecei a recuperar o compositor que eu acho que tinha esquecido… sei lá onde é que eu deixei o cara!… E nessa onda pintou ‘Sozinho’.

A música ‘Sozinho’ mudou a minha vida pra sempre. Eu ficava pensando: Pô, tem alguma coisa que eu não sei mas que dá certo aí. Eu gostaria de ter a receita para que todas as músicas que eu fizesse, fizessem sucesso.”
(Peninha)

“E essa música fez com que a Sandra de Sá que estava com a vendagem naquela ocasião extremamente baixa, passasse a vender… se não me engano a venda oficial na época foi de 800 mil discos.”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“‘Sozinha’ trouxe pra mim muita coisa bacana. Primeiro que explodiu, vendeu muito CD, eu fiz muitos shows. Mas sinceramente, sem demagogia nenhuma, o presente maior que ‘Sozinha’ me deu foi no dia 24 de dezembro daquele ano… tô dirigindo na Avenida Brasil, atendo o telefone, era o Peninha me agradecendo pelo Natal que ele estava tendo. Então… papo de alfândega: Nada a declarar… mas foi legal ele ter me ligado no dia 24 e… (emocionada) foi legal!”
(Sandra de Sá – Cantora)

“Certamente foi um Natal diferente… legal ela lembrar disso, eu lembro também, faz muito tempo. Fiquei feliz agora em saber que ela lembrou!

Eu estava feliz já, estava bom. Mas aí começaram a acontecer mais coisas com a música, entendeu? E a música começou a andar!”
(Peninha)

“Passou-se um tempo, eu recebo um telefonema, a música já estourada, do Tim Maia:
– Gutão, é o Tim.
– Fala rapaz!
– Guto essa música da Sandra é muito legal, eu vou gravar.
– Pô, que barato! Fala com o Peninha, liga pra ele, avisa a ele!”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“Eu cheguei em casa e recebi o recado:
– O Tim Maia ligou pra você!
Eu falei: Pô é sacanagem de alguém!
Aí um dia eu atendi e era o Tim Maia bicho. Ele acabou gravando a música e falou:
– Eu gravei a música no tom da Sandra (Confira em ‘O tempo não apagou’).
Mas aí a música continuou andando, crescendo… tinha vida própria a música! O que eu fazia? Só assistia o filme.”
(Peninha)

“Aquele lance que a gente tem no Brasil né: Dependendo de quem grava, a música é uma parada. Então eu gravei ‘Sozinha’ e explodiu. Quem não cantava ‘Sozinha’ né?
Aí o Caetano gravou ‘Sozinho’… aí teve um dia que eu estava cantando ‘Sozinha’ uma pessoa falou:
– Ué você também gravou essa música?
Eu falei: Ahhhh vá sacanear outro porra! (Risos)”
(Sandra de Sá)

“Você vai comparar Sandra com Tim Maia, com Caetano Veloso… é uma coisa meio… A Sandra é a Sandra, o Caetano é o Caetano e o Tim é o Tim, são três coisas muito legais. Se você pensar a grosso modo, a Sandra parece um pouco com o Tim. Tanto é que a cantora da vida do Tim é a Sandra de Sá, ele falava isso… pra mim ele falou isso!

Então eles se parecem um pouco, mas não dá pra comparar uma coisa com outra assim. Eu fiquei muito feliz quando a Sandra gravou esta música e fez sucesso com essa música. Fiquei muito feliz quando o Tim Maia gravou esta música porque eu queria muito gravar com Tim Maia. E quando o Caetano gravou esta música eu desmaiei umas cinco vezes porque foi uma coisa assim muito grande!
O Caetano fez a leitura da música uma vez só, não tem uma repetição da música… e foi o suficiente assim!”
(Peninha)

“Com esta gravação Caetano alcançou a marca de 1 milhão de discos, coisa que eu acho que ele nunca tinha tido antes. E dali pra frente ele, além do cantor cult, do cantor maravilhoso, genial que sempre foi, virou cantor popular mesmo, em termos de venda!”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“O compositor faz uma música, ele quer que a música seja bem gravada, que faça sucesso. Esse realismo, quando ele vai… percebe que as pessoas realmente gostam daquela música, e aquela música se torna importante na vida das pessoas.

Com ‘Sozinho’ eu ganhei um prêmio máster… aí quando eu cheguei lá é que eu vi a importância do ‘trem’!

Aqui é o disco de diamante do Caetano. Na verdade houve uma festa e ele recebeu o disco de diamante. Aí ele teve a gentileza de fazer dois. Ele recebeu um e aí ele me deram um que eu guardo aqui com muito carinho.

Ele está falando assim ó: “Valeu Peninha!” (Referindo-se a foto do Caetano na capa do disco)

‘Sozinho’ quando entrou na novela ‘Suave veneno’, já era um sucesso e aí virou mais sucesso ainda. Talvez seja por isso que tenha vendido tanto. Acho que essa novela teve a ver com isso!”
(Peninha)

“A novela quer uma música que contenha a emoção da personagem. Quando essa emoção da personagem bate com a letra dessa música e com essa gravação… quando esse fenômeno acontece, isso potencializa de uma forma… aí realmente você tem um grande sucesso e o grande fenômeno.”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“Eu acho que ‘Sozinha’ se comunica com o geral porque é real, é de verdade. Eu acho que tudo que é real, tudo que é de verdade… pode ser a parada mais mirabolante do mundo, mas se for de verdade, se for real… muita, mais muita gente vai se identificar, vai gostar e vai fazer bem!”
(Sandra de Sá)

“Com o tempo eu descobri que ela não é uma música teen como eu imaginei. Ela é uma música que fala que se você não cuidar do que você tem, você dança… é isso que a música fala… você não tá cuidando bem de mim pô, eu tô dormindo mal… eu tô juntando o passado, presente e futuro e tá ruim aqui… não tô gostando disso… daqui a pouco vai chegar alguém… e eu vô embora!”
(Peninha)

“Quando a gente gosta é claro que a gente cuida é a maior verdade. E foi isso que me fez enxergar que o relacionamento não era o que eu esperava, e realmente botar um fim nisso.”
(Clariana Alves)

“Eu acho que diz muito… quando você diz: ‘Porque você me deixa tão solta? Porque você não cola em mim? Tô me sentindo muito sozinha… e se de repente rolar uma outra pessoa?’. Isso é uma história: Princípio, meio e vida! (risos)

Hoje em dia nos shows ela está altamente funk’n roll, rock’n soul (risos), tá muito assim. E o Tim gravou numa outra parada, foi um lance mais baladão… o Caetano com aquela doçura dele, fora as gravações que a gente não conhece!”
(Sandra de Sá)

“Já ouvi o Belo cantando essa música, já ouvi o Daniel, Sérgio Reis, o Fábio Jr, Mastruz Com Leite… tem muita coisa de ‘Sozinho’. A Nely Furtado não gravou a música. Eu até gostaria pois aí seriam mais 10 milhões de cópias computadas. Mas na verdade ela veio ao Brasil fazer uns shows aqui e a música brasileira que ela escolheu para cantar foi ‘Sozinho'”.
(Peninha)

“A letra desta música é fácil de dizer entendeu? Ela é fácil de ser sincera. Qualquer cantor que cante vai ser sincero com aquele jeitinho de cantar.”
(Guto Graça Melo – Produtor Musical)

“É um presente que eu tenho até hoje, porque até hoje quando eu canto ‘Sozinha’ no show é… fogo. Todo mundo gosta, todo mundo canta!”
(Sandra de Sá)

“Quando eu canto essa música assim… por aí… impressionante, ela está aí. Eu acho que eu vou morrer e ela vai ficar, o que é legal!”
(Peninha)

“‘Sozinha’ tá muito bem acompanhada! (Risos)”
(Sandra de Sá)

Extraído de http://www.eternasmusicas.com

Sandra de Sa & Coro(1996)

Tags: Caetano / Clariana / Peninha / Sandra / sozinha / sozinho / Tim /
  • Compartilhe:

Escreva um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Jorge Lacerda disse:

Muito bom, gostei muito.

wellington de morais disse:

a musica sozinho que me refiro é de uma banda anos 80 ou 90, é mais ou menos isto: Estou só, outra vez lembrando de você, não sai do pensamento. Eu te amei, eu sofri, eu chorei lembrando de você – gostaria de saber quem canta esta musica

Salvador disse:

“Sozinho”. Essa que você se refere foi gravada em 1992 pela banda Yahoo. É uma versão de um sucesso dos The Marmelades (“Reflections of my life”).